Campanhas

O QUE VOCÊ DEVERIA ESTAR FAZENDO AGORA MESMO PARA SE PREPARAR PARA AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES.

3 min de leitura
O QUE VOCÊ DEVERIA ESTAR FAZENDO AGORA MESMO PARA SE PREPARAR PARA AS PRÓXIMAS ELEIÇÕES.
Junte-se à nossa comunidade de profissionais.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Uma proposta para refletirmos sobre onde você está agora e o que pode ser feito de imediato, para você avançar rápido em sua campanha eleitoral.

Veja a seguinte cena: você inicia sua semana com todo conteúdo planejado, mas sua equipe está preparada para atuar em tempo real, surfar na onda de temas quentes do momento e defender seu assessorado de notícias falsas que circulam por aí.

Sua equipe de interações está a postos e sempre atualizada para responder com velocidade às demandas que surgem nos seus canais, mas também está de olho na qualidade do relacionamento, afinal de contas vocês estão ali não como uma espécie de call center, mas para nutrir uma comunidade. Não para por aí! No fim do dia, você sabe exatamente quais conteúdos deram certo, quais não performam tão bem.

Seus posts estouram na rede, chovem comentários e os compartilhamentos não param de crescer. Sua mensagem está sendo transmitida, seu alcance é incrível e você está pautando conversas na rede. Virou até um ponto de referência dentro da sua área de atuação e principais interesses.

Está todo mundo realmente satisfeito com sua performance nas redes sociais e tudo está pronto para as próximas eleições, você realmente tem uma comunidade em torno da sua marca e é impossível melhorar. Estamos diante de um verdadeiro case de sucesso! Economize tempo e nem siga adiante nesse texto.

Agora, só entre nós, que ninguém nos ouça: se você admite que conhecimento nunca é demais e quer deixar tudo perfeito para fazer uma campanha histórica nas eleições, reserve um minuto para ler isso aqui.

Consistência é a palavra da vez. E isso demanda tempo.

A dinâmica das eleições de 2018, marcada pela enxurrada de fakes, atuação de bots e consagração do WhatsApp como canal de comunicação, deixou um importante aprendizado para quem assessora candidatos e partidos ou deseja ingressar na área: um trabalho efetivo de comunicação política nas redes sociais exige constância, dedicação e tempo.

As coisas não podem ser feitas de qualquer modo, nem construídas da noite para o dia.Ou pelo menos, não deveria ser assim.

Estratégia, conteúdo, planejamento, insights baseados em dados, relacionamento com seguidores são elementos fundamentais dentro de um conjunto muito mais amplo de compromissos que precisam ser firmados, se você deseja construir uma presença consistente, e sobretudo, alcançar bons resultados na corrida eleitoral.

Parece cada dia mais difícil imaginar uma campanha bem sucedida, hoje, principalmente em localidades mais urbanizadas, sem o uso intensivo do digital. Seja para falar diretamente com seu público ou dialogar com formadores de opinião, entrar em campo sem o apoio das Redes, coloca o ator político em clara desvantagem. E pior, impede que se crie um legado para sua trajetória futura. Sim. Isto porque campanha eleitoral é apenas um momento, dentro de um fluxo contínuo de posicionamento e diálogo com a sociedade.

Por isso, é preciso desconstruir urgentemente a ideia de que a campanha começa apenas no período eleitoral e termina no domingo, com o encerramento das urnas. Não adianta montar uma equipe à beira das eleições, nem recorrer a fórmulas mágicas ou métodos milagrosos. Ou você faz isso bem feito, ou estará fora do jogo.

Está com a caneta na mão, contrate. Não está, busque capacitação.

Enquanto profissional, candidato ou gestor de uma agremiação política, é sua obrigação mergulhar nas melhores práticas, conhecer ferramentas, explorar possibilidades e absorver o raciocínio por trás do digital. Seu envolvimento com isso vai depender do seu papel no jogo, mas ter consciência sobre como a coisa toda funciona, vai te ajudar a fazer um trabalho valioso ou, ao menos, te ajudar a demandar melhor da sua equipe.

Se você não está naquele patamar, digamos, mundo ideal, que ilustramos na cena que abre este texto, temos um exercício para propor. Reflita sobre a posição em que você se encontra no momento, numa escala que vai de: “nem ao menos comecei” a “tudo pronto e dominado”. A partir daí, comece a se preparar para colocar a casa em ordem.

Nesta altura do campeonato, tempo é o seu maior inimigo. Depois não vai colocar a culpa no algoritmo do Facebook e na falta de verba, quando o custo do clique aumentar, ou das restrições impostas pela lei eleitoral, quando todo mundo estiver brigando por cada pixel da tela do usuário. O resultado que você pretende obter nas eleições, depende do que você fizer agora.

Boa sorte!

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Junte-se à nossa comunidade de profissionais.