Campanhas

EM UMA CAMPANHA POLÍTICA DE ALTA PERFORMANCE, CONTEÚDO NÃO É OBJETIVO, MAS O MEIO.

3 min de leitura
EM UMA CAMPANHA POLÍTICA DE ALTA PERFORMANCE, CONTEÚDO NÃO É OBJETIVO, MAS O MEIO.
Junte-se à nossa comunidade de profissionais.

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Entender o papel do conteúdo no seu processo, vai te ajudar a sair dos primórdios das Redes Sociais e levar a sua campanha eleitoral a outro patamar.

Entendemos que uma presença digital bem sucedida se sustenta no tripé conteúdo, inteligência e interações. Já falamos sobre o primeiro desses pilares e aqui chegamos ao ponto central daquilo que muitos enxergam como o objetivo último do trabalho de redes sociais: a produção de conteúdo.

É aqui que nos encontramos diante de um paradigma difícil de desconstruir: a visão de que a função da equipe de Redes Sociais é produzir conteúdo para os perfis.

Toda sorte de problemas decorre desse entendimento errôneo, mas a causa é uma só: o conteúdo é a parte visível do trabalho, a famosa ponta do iceberg, enquanto na realidade, a maior parte do trabalho, da energia e do tempo dedicado a fazer uma entrega profissional, depende de muitos outros fatores e da dedicação de profissionais dotados de outras expertises.

Dito isso, vamos a algumas decisões que precisam ser tomadas no dia a dia, que vão muito além de escolher o que dizer e a estética a ser utilizada. O trabalho de conteúdo tem a ver com a definição de formato, periodicidade, identidade visual, o que dizer, como, o quanto e em que momento dizer, em cada plataforma.

Como um conteúdo dialoga e complementa o outro, considerando as diferentes mídias, quais objetivos estão por trás de cada publicação, quais editorias devem ser consideradas e o que deve ser dito para cada público.

Decisões sobre a abordagem de conteúdo devem levar em conta propósitos de ser informativo, educativo, interativo, com linguagem clara, humanizada e objetiva, sempre com intuito de aproximar e promover o diálogo entre cidadão e seu assessorado.

Fazer conteúdo sem soar como uma máquina, sem soar distante ou se tornar repetitivo exige prática, sensibilidade, domínio técnico e uma boa dose de liberdade para experimentar.

É nessa hora que sua operação toda será desafiada a integrar estratégia e inteligência ao processo de trabalho e o esforço de planejamento (feito previamente e revisitado de modo constante) será, como dissemos, seu maior trunfo.

Senão, como organizar a distribuição de conteúdos entre as redes, pensar formatos distintos considerando as características de cada mídia. Aliás, como você poderia batalhar por cada objetivo ou dialogar com cada público se você não sabe o que dizer e com quem falar?

Mais uma vez: se você não fez o seu dever de casa na etapa de estratégia, volte algumas casas, recomece o processo todo, porque o conteúdo é só parte da história.

Ter isso tudo bem ajustado vai te ajudar a economizar tempo para experimentar, improvisar, atuar em tempo real e surfar na onda de memes, fatos quentes, conversas que estão vivas na Rede.

Aposte nisso e sua comunicação estará conectada aos objetivos do seu assessorado e ao mundo real de onde vem o interesse das pessoas.

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Junte-se à nossa comunidade de profissionais.